Ir para conteúdo


Foto
* * * * * 1 votos

Modernização da rede móvel LTE


  • Please log in to reply
6 respostas neste tópico

#1 LYCAT

  • Membro Graduado

  • PipPipPip
  • 387 posts
  • Localidade:Portugal
  • Interessses:Blog Cell Broadcast
    0 and 1
    Telecommunications
  • Telemóvel: Xiaomi Redmi Note 4
  • Rede: UZO

Postado 30 Junho 2018 - 11:32

Com a actual modernização da rede móvel NOS para SRAN a nível do LTE a maior parte dos sites ficarão com LTE nos 2100 MHz.

 

Na MEO por exemplo a expansão da cobertura LTE tem sido realizada nos 2100 MHz e 1800 MHz.

 

A Vodafone Portugal também possui sites com LTE nos 2100 MHz.

 

No caso da NOS do que tenho visto estão a utilizar uma portadora de 5 MHz, no caso da MEO estão a usar 10 MHz. Na NOS com uma portadora de 5 MHz consegue-se obter velocidades teóricas de 37.5 Mbps download e 12.5 Mbps e Upload. Na prática já conseguir 30 Mbps de Download e 10 Mbps de Upload.

 

Em UMTS podem utilizar desde 1, 2, 3 ou 4 portadoras. A maior parte da rede UMTS da NOS apenas está a usar 1 portadora, mas há sites com 2 ou mais portadoras, dependendo da capacidade que seja necessária. Com 1 portadora teoricamente consegue-se atingir os 21 Mbps.

 

No caso do UMTS com 2 portadoras consegue-se atingir teoricamente 43.2 Mbps com HSPA+ DC.

 

Na Vodafone já vi estarem a emitir LTE nos 2100 MHz com 20 MHz de Portadora e com antenas MIMO 4x4 que teoricamente consegue atingir velocidades de 300 Mbps.

 

Futuramente se a NOS colocar mais uma portadora de 5 MHz nos 2100 MHz LTE irá aumentar a capacidade do LTE, os 2100 MHz irão ser utilizados para o CA.

 

No caso do UMTS na NOS é fácil verificar-se o número de portadoras em qualquer programa de monitorização de rede ou utilizando um código no caso dos Iphones e equipamentos com Android.

 

1ª Portadora - 10688

2ª Portadora - 10713

3ª Portadora - 10663

4ª Portadora - 10737


Editado por LYCAT, 30 Junho 2018 - 11:34.


#2 zonix

  • Administrador

  • 793 posts

Postado 30 Junho 2018 - 20:08

Na Vodafone já vi estarem a emitir LTE nos 2100 MHz com 20 MHz de Portadora e com antenas MIMO 4x4 que teoricamente consegue atingir velocidades de 300 Mbps.

Vodafone L21 EARFCN 103 com 20MHz de largura de banda. Reaproveitamento total do espectro alocado para LTE 4G
MEO L21 EARFCN 550 com 10MHz de largura de banda. Reaproveitamento de 2 portadoras  (UMTS) para LTE 4G Neste site a MEO fica ainda com 2 portadoras UMTS: UARFCN 10762 e UARFCN 10787.
NOS L21 EARFCN 226 com 5MHz de largura de banda. Reaproveitamento de uma portadora (UMTS) para LTE 4G
post-14647-0-35886100-1596229142.jpeg

Na tabela mostra o espectro downlink da faixa dos 2100MHz, A Meo na modernização da rede está a migrar do 3G para o 4G.  A Vodafone (neste site) fez um reaproveitamento total para a tecnologia LTE 4G. Nestes sites estão a ser usadas "antenas" MIMO 2x4. Multiple-Input Multiple-Output (MIMO) 4x4 permite melhores velocidades.

 

Analisando o caso da NOS:
A portadora UARFCN 10663 foi substituída EARFCN 226
post-14647-0-16920200-1532474770.png
O que é o Refarming ? 
O Refarming é uma palavra inglesa, e significa a reutilização de frequências, com outras tecnologias diferentes daquelas inicialmente atribuídas.
 
Refarming em Portugal
A frequência de 2100MHz originalmente usada para serviços 3G, e agora para o 4G. Este processo é um refarming ou reaproveitamento do espectro. Acontece o mesmo para  a frequência de 1800MHz. Originalmente usada para serviços 2G GSM 1800 (DCS) GSM e agora com a tecnologia LTE-FDD a B3 (1800 +) pode também ser usada para serviços 4G.  Existiu a tendência da passagem de GSM 1800 (DCS) para LTE B3 (1800 +). Com o 5G existe a tendência de se utilizar (também) a banda 3. 

 

Outro exemplo é a faixa dos 900MHz. Originalmente usada só para GSM (2G) e e agora também para o 4G.

post-14647-0-91876300-1596235536.jpeg

Na tabela mostra o espectro downlink da faixa dos 900MHz, Neste exemplo a Vodafone em 3 sites diferentes:

UMTS+2G; 2G+LTE+2G e por último um reaproveitamento total do espectro alocado para LTE 4G.

O 2G náo deverá desaparecer por completo pois existem equipamentos que só utilizam o 2G caso dos telemóveis antigos, terminais de multibanco, Terminais de Pagamento Automático centrais de alarme, etc.

 

Outro exemplo de reaproveitamento de espectro: A faixa dos 700MHz usada para televisão analógica e depois digital com o TDT . Agora é dada uma nova utilizão o 5G . A "nova" faixa dos 700 MHz com a Banda 28.

No 5G as novas bandas a leilão: B28 700MHz, B22 3500MHz e B43 3700MHz.

 

O que é o reaproveitamento da banda 1 (2100Mhz)? 
Na frequência de 2100 Mhz (B 01) existem agora duas tecnologias disponíveis a UMTS e LTE. Como partilham da mesma frequência cabe às operadoras (NOS, MEO e Vodafone) fazer a implementação do 4G LTE. Cabe ao operador a fazer a essa modernização / actualização do site (vulgo antena de telemóvel) É utilizado nos sites (vulgo antenas) LTE ou UMTS: LTE B1 (2100 Mhz FDD) e UMTS B1 (2100Mhz). 

post-14647-0-68438300-1596238451.jpeg


Sweet Sixteen GSMHouse - Em Agosto completamos 18 anos desde a criação


Sweet Sixteen GSMHouse


#3 zonix

  • Administrador

  • 793 posts

Postado 30 Junho 2018 - 23:28

Em Portugal, o LTE 4G está em seis bandas: banda 1 (2100), banda 8 (900),  banda 20 (800), banda 3 (1800), banda 7 (2600). e banda 38 (TDD 2600).  As novas faixas sáo 700 MHz e 3600 MHz (ou 3.6 GHz ). As novas bandas a leilão 5G : B28 700 MHz, B22 3500 MHz e B43 3700 MHz. 

 

Na imagem aparece LTE 4G com a banda B01 (2100). Neste caso o EARFCN 226 correspondente da operadora.

post-14647-0-46025500-1531549530.jpg
 
4G LTE Portugal: B3 (1800 +) LTE , B7 (2600) LTE, B38 (TDD 2600) LTE,  B20 (800 DD) LTE, B8 (900 GSM) LTE e B01 (2100) LTE

As estações de base do SMT são vulgarmente conhecidas por antenas de telemóveis. Também pode ser referido como site. Um exemplo da NOS em 4G LTE B3 (1800 +)  com o EARFCN 1500 específico da operadora. O site encontra-se no Hospital Sant'ana

post-14647-0-14961400-1531555850.jpg
Créditos: Fotos de LYCAT


Sweet Sixteen GSMHouse - Em Agosto completamos 18 anos desde a criação


Sweet Sixteen GSMHouse


#4 zonix

  • Administrador

  • 793 posts

Postado 02 Julho 2018 - 14:01

Com a actual modernização da rede móvel surge a agregação de portadoras. Em inglês Carrier Aggregation (CA). Com a CA é obtido uma maior largura de banda.  A agregação de portadoras depende do operador e do sitio onde está. (Não esquecendo que são poucos os telemóveis com Carrier Aggregation. O mais habitual será encontrar: B3+B1; B20+B1; B20+B3; B3+B7; B20+B3+B1; B20+B3+B7 e B20+B3+B1.

Iremos mostrar exemplos mais comuns e alguns casos mais raros.

post-14647-0-87705100-1596278385.png

Carrier Aggregation MEO Banda 3 + Banda 7 com (20+20) 40MHz de largura de banda

 

post-14647-0-55423200-1596278352.jpeg

Carrier Aggregation NOS Banda 3 + Banda 20 + Banda 7 com (20+10+20) 50MHz de largura de banda

 

 

post-14647-0-46448900-1596280273.jpeg

Além do modo LTE-FDD  a Vodafone comprou LTE-TDD por três milhões de euros. só a Vodafone usa  a banda 38.Carrier Aggregation Vodafone Portugal Banda 3 + Banda 7 + Banda 38 com (20+20+10) 50MHz de largura de banda. 

 

post-14647-0-77081500-1596280256.jpeg

 

Carrier Aggregation Vodafone Portugal Banda 1 + Banda 3 + Banda 7 + Banda 20 com (20+20+20+10) 70MHz de largura de banda

 

 

 

A maioria conhece o que vulgarmente se designa por "antenas". O termo site ou sites também não é reconhecido. A grande maioria das pessoas identifica como "antena" ou "antenas de telemóveis" para o termo site ou sites. Deste modo a pensar num público mais abrangente (sejam visitantes ou membros do GSMHouse) que não identifica as estações de base do SMT como "antenas de telemóveis". O GSMHouse pode e deve contribuir para a educação do público para o assunto. 
 
VODAFONE:Mapa das estações de base do Serviço Móvel Terrestre (SMT) Vodafone
NOS: Mapa das estações de base do Serviço Móvel Terrestre (SMT) Nos
MEO: Mapa das estações de base do Serviço Móvel Terrestre (SMT) Meo
Nota: ​A informação é a disponível. No site da ANACOM também não existe um mapa com estas características. Nos mapas só aparece a localização. Para uma informação mais detalhada sobre a rede "2G, 3G, 4G 5G" pode-se utilizar o Network Cell Info -Google Play. Esta aplicação (versão lite) é gratuita. fornecendo informações sobre a rede e as tecnologias 3G e 4G: UMTS, HSPA e LTE. Qual é a diferença entre UMTS e 4G? A diferença é de uma geração. UMTS é uma das tecnologias de terceira geração dos telemóveis. UMTS (abreviação de Universal Mobile Telecommunication System), também conhecido como 3G. UMTS suporta CDMA e GSM. O 4G que também é conhecido como LTE (Long Term Evolution) é a tecnologia de nova geração após 3G ou UMTS. As estações de base do Serviço Móvel Terrestre (SMT) são vulgarmente conhecidas por antenas de telemóveis.
post-14647-0-48513200-1530886987.jpgUma aplicação simples: Network Cell Info fornece informações sobre a rede e mostra no mapa das estações de base do Serviço Móvel Terrestre (SMT), vulgo antenas de telemóveis. A versão lite do Network Cell Info  é gratuita.
 
As tecnologias 3G e 4G também anunciaram velocidade maiores. E no futuro o que podemos esperar do 5G? Velocidade, performance e baixa latência. Mas será que é para todos os clientes?


Sweet Sixteen GSMHouse - Em Agosto completamos 18 anos desde a criação


Sweet Sixteen GSMHouse


#5 zonix

  • Administrador

  • 793 posts

Postado 14 Julho 2018 - 20:02

São utilizadas em Portugal as bandas 1, 3, 7, 8, 20 e 38 com a tecnologia LTE e em UMTS: B1 e B8
4G LTE-FDD: B1 (2100), B3 (1800 +) B7 (2600) e B20 (800 DD)
UMTS B1 (2100) UMTS e B8 (900 GSM) UMTS
GSM 900 (E-GSM) GSM e 1800 (DCS) GSM  

 
São seis bandas 4G actualmente utilizadas a nível nacional. Bandas em Portugal por operador:
Na rede MEO 4G  (modo LTE-FDD) são: B1; B3; B8; B7 e B20
Na rede NOS 4G  (modo LTE-FDD) são: B1; B3; B7 e B20
Na rede Vodafone 4G  (modo LTE-FDD) são: B1; B3;  B8; B7 e B20  Além do modo LTE-FDD  a Vodafone comprou LTE-TDD por três milhões de euros. só a Vodafone usa o LTE-TDD nas frequências desde 2570MHz até 2595MHz. São 25MHz na faixa dos 2600MHz na banda 38. Deste modo a operadora fica com uma capacidade acrescida para reforçar a comunicação da estação de base (vulgo antena) e a estação móvel. Ver tabela ANACOM
 
Existem duas tecnologias disponíveis a UMTS e LTE. Como partilham da mesma frequência e para não causar interferência o site (vulgo antena de telemóvel) utiliza LTE ou UMTS: LTE B1 (2100 Mhz FDD) e UMTS B1 (2100Mhz). Exemplo de uma portadora em LTE na banda 1: EARFCN DL 226.  Com o EARFCN DL 226 confirmamos se situa no espectro downlink da faixa dos 2100MHz A modernização da rede é um processo demorado também com o 5G. LTE é a sigla de Long Term Evolution, em português Evolução de Longo Prazo). 
 
Na Modernização da rede móvel também existe o reaproveitamento do espectro. A mudança de B1 (2100) UMTS para B1 (2100) LTE-FDD é um reaproveitamento de banda. Exemplo de refarming ou reaproveitamento da frequência 2100MHz LTE-FDD da operadora NOS. A portadora 226 de EARFCN é específico para a operadora. Este site encontra-se na Parede, Cascais
post-14647-0-87426200-1531559560.jpg
Créditos: Fotos/imagem de LYCAT  / Tratamento de imagem zonix
O Refarming ou reaproveitamento do espectro.
O Refarming é uma palavra inglesa que tem sido usada, e significa a reutilização de frequências, com outras tecnologias diferentes daquelas inicialmente atribuídas. A reorganização de frequências é também uma ocorrência nas faixas atribuídas aos serviços de televisão e telemóvel.
Este é um processo necessário e conveniente para proporcionar maior flexibilidade à utilização do espectro de radiofrequências de televisão (com o agora TDT) e no telemóvel com o aparecimento das sucessivas gerações 3G, 4G e no futuro o 5G.
 
Só daqui a dois anos o 5G deve de ser uma realidade para a maioria dos coreanos. Em portugal ainda existe zonas onde a cobertura é fraca em 2G, 3G e 4G (e as velocidades ridiculamente baixas) A maioria dos portugueses deverá ter 5G em 2030. Apesar do optimismo das operadoras. É um processo longo existindo muitas variáveis.
Actualmente existem zonas onde a rede está congestionada. Tudo isto somado significa na prática que o cliente "apanha" 2Mbps muito longe das velocidades anunciadas pelas operadoras.
Exemplo de um cliente em que a velocidade depende da hora.
post-14647-0-12995700-1531597853.jpg
-


Sweet Sixteen GSMHouse - Em Agosto completamos 18 anos desde a criação


Sweet Sixteen GSMHouse


#6 zonix

  • Administrador

  • 793 posts

Postado 17 Julho 2018 - 08:30

A modernização da rede móvel é um processo demorado. No caso do LTE é a sigla de Long Term Evolution, em português Evolução de Longo Prazo). Nesta modernização também está incluído o Refarming. 
O que é o Refarming ? 
O Refarming é uma palavra inglesa, e significa a reutilização de frequências, com outras tecnologias diferentes daquelas inicialmente atribuídas.
 
A frequência de 2100MHz originalmente usada para serviços 3G, e agora para o 4G. Este processo é um refarming ou reaproveitamento do espectro. Acontece o mesmo para  a frequência de 1800MHz. Originalmente usada para serviços 2G GSM 1800 (DCS) GSM e agora com a tecnologia LTE-FDD a B3 (1800 +) pode também ser usada para serviços 4G.  Não existem dados oficiais, mas é tendência é a passagem de GSM 1800 (DCS) para LTE B3 (1800 +)
O que é o Refarming na banda 1 (2100Mhz)? 
Na frequência de 2100 Mhz (B 01) existem agora duas tecnologias disponíveis a UMTS e LTE. Como partilham da mesma frequência cabe às operadoras (NOS, MEO e Vodafone) fazer a implementação do 4G LTE. Cabe ao operador a fazer a essa modernização / actualização do site (vulgo antena de telemóvel) É utilizado nos sites (vulgo antenas) LTE ou UMTS: LTE B1 (2100 Mhz FDD) e UMTS B1 (2100Mhz). Daqui a uns anos vamos ter mais sites com a tecnologia LTE em detrimento do UMTS B1.
 
A faixa dos 2100MHz originalmente usada para serviços 3G, (e com a evolução das redes móveis) para o agora designado serviço 4G. Este processo é um refarming. A modernização da rede (3G/4G/5G) por parte das operadoras é muitíssimo demorado. Implica grandes mudanças até no próprio site (vulgo antena). Todos os clientes de Portugal (talvez) daqui a 10 anos possam ter o as velocidades (e a latência) anunciadas no inicio da década passada. (mais concretamente 2005) 
Fica no entanto aqui o exemplo: Neste caso é com EARFCN 226. Este número pertence à NOS e com o EARFCN 226 também confirmamos que é 4G (LTE) post-14647-0-84388700-1531688518.png
Créditos: imagem de LYCAT  / Texto e tratamento de imagem zonix
 
As bandas 4G utilizadas a nível nacional são:
Na rede Vodafone 4G LTE-FDD são: B1; B3; B8; B7 e B20  em LTE-TDD a B38

Na rede MEO 4G LTE-FDD são: B1; B3; B8; B7 e B20

Na rede NOS 4G LTE-FDD são: B1; B3; B7 e B20


Sweet Sixteen GSMHouse - Em Agosto completamos 18 anos desde a criação


Sweet Sixteen GSMHouse


#7 zonix

  • Administrador

  • 793 posts

Postado 22 Julho 2018 - 16:28

Na Modernização da rede móvel o operador também pode utilizar um "novo tipo de antenas" de telemóvel. Small-cell ou Multiple-Input Multiple-Output (MIMO) são exemplos de soluções e será uma tendência para os próximos anos. É uma nova abordagem na rede de telecomunicações. Implementação em ampla escala de MIMO, designado de Massive MIMO e (ou) small cells é uma das soluções na rede da próxima geração. Estamos na fase inicial da implementação (complementar) destes sistemas e já existe em meio urbano. As antenas podem estar disfarçadas de: banco de jardim; candeeiro de Iluminação pública com tecnologia Led; árvores; palmeira etc. Vejamos alguns exemplos em  Portugal:
 
Antenas de telemóvel disfarçada candeeiro de Iluminação pública tendo a capacidade para videovigilância, wi-fi e muito mais. Produto Nacional!

Em Portugal podemos encontrar antenas disfarçadas em Cascais e no parque industrial onde se insere a Farfetch, a norte, com um espaço para 600 viaturas iluminado de forma autónoma. Na imagem aparece o OmniLED produto Português.
omni10v2.jpg
É uma solução completamente integrada que se integra nas cidades inteligentes urbanas mais modernas e na paisagem mais selvagem. A energia gerada com recursos naturais contribui para o fornecimento de energia às estação da Vodafone. Sendo autónomo é alimentado exclusivamente pela acção do vento e pelo sol, composto por um aerogerador de eixo vertical e omnidirecional, funcionando segundo qualquer direção de vento, e painéis fotovoltaicos dispostos no topo da calota do OmniLED, materializando assim, uma solução de energia renovável que concilia a energias eólica e solar.
características OmniLED na versão 7
  • Iluminação inteligente -sensor de movimento por infravermelho
  • Hotspot Wi-Fi público
  • Estações base de células pequenas
  • Estação de carregamento USB
  • Análise de vídeo:
    • Vigilância
    • Estacionamento inteligente
    • Análise de localização (tráfego, contagens de pedestres para análise operacional e de marketing)
  • Monitor e controle baseados na Web
OmniLED: a antena de telemóvel disfarçada candeeiro de Iluminação pública com tecnologia Led tendo também a capacidade para videovigilância, wi-fi
DgtNhNsX4AAQbdv.jpg
O sistema Português da OMNIFLOW foi instalado em mais de 10 países diferentes até o momento. Na foto a antena da Vodafone Portugal(Small Cell) no Parque Marechal Carmona em Cascais.
Omniflow-about.png

imagem de OmniFlow  informações mais detalhadas em auto consumo portugal 

Sweet Sixteen GSMHouse - Em Agosto completamos 18 anos desde a criação


Sweet Sixteen GSMHouse





0 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membro(s), 0 visitante(s) e 0 membros anônimo(s)